Do Velho Mundo – JE MISTR!  Tappara Bicampeão, HV71 e Brynäs Vão Até a Prorrogação do jogo 7 e Encerramento da Temporada.

Do Velho Mundo – JE MISTR! Tappara Bicampeão, HV71 e Brynäs Vão Até a Prorrogação do jogo 7 e Encerramento da Temporada.

Bom dia, boa tarde, boa noite! Hoje é segunda-feira sábado e dia da coluna sobre hóquei europeu no site Puck Brasil! A temporada de clubes na Europa está encerrada, campeões foram feitos, destinos tristes também tiveram sua vez, mas antes de falar sobre isso, vamos as finais nas três grandes ligas que ainda faltavam ser relatadas para saber o que ocorreu. Começamos na terra do triunvirato eterno formado por Antonin Dvorak, Dominik Hasek e Jaromir Jagr:

ELH

A série foi para Brno para os jogos 3 e 4, a terceira partida foi disputada na terça, 18/04. O Kometa abriu o placar e pouco depois fez o segundo gol, o time da casa ainda continuou a dominar o jogo, além de tudo, o Bílí Tygri não conseguiu superar Marek Ciliak, goleiro do Kometa. Martin Zatovic marcou o gol final do jogo após o time de Liberec tirar o goleiro, assim o Kometa venceu por 3-0 fazendo o mesmo placar na série e ficando a uma vitória de conseguir seu primeiro título na Extraliga Ledního Hokeje.

A quarta partida começou nervosa, nenhum dos times conseguia construir uma jogada efetiva. Após o primeiro intervalo os times acalmaram e os gols saíram, o Kometa inaugurou o marcador, segundos depois o Bílí Tygri empatou, minutos depois o time da casa voltou a frente e ampliou rapidamente, o Liberec diminuiu, mas o Kometa voltou a marcar no minuto seguinte. Nos minutos finais Jakub Krejcik aproveitou o power play, selou a vitória e o título, o placar final de 4-2 para o Kometa garantiu o primeiro título da liga de seu país na história do time, nos tempos de Tchecoslováquia ele venceu 11 vezes, mas na Tchéquia como país independente e soberano foi a primeira vez. Para o Bílí Tygri Liberec resta apenas AQUELE Molejão…

O Kometa Brno terminou a temporada regular no sexto lugar, foi o último a garantir vaga direta nas quartas de final. O time pegou momentum na parte final da temporada regular e aproveitou o embalo na pós-temporada, enfrentou uma equipe mais forte e se impôs nos 4 jogos, não é todo dia que se vê o melhor time da liga, independente de qual ela seja, ser varrido em uma final e isso é mérito total do Kometa. Após 51 anos de seca o Kometa Brno pode finalmente gritar Je Mistr!

kometa_1_ Karel Švec - cslh.cz
O Kometa Brno campeão da ELH, finalmente! (Foto: Karel Švec/ Via: cslh.cz)

Liiga                                                             

A partida de abertura das finais da Liiga foi muito equilibrada, Tappara e KalPa jogaram de igual para igual. O KalPa abriu o placar, o Tappara empatou, então o KalPa marcou dois gols e por fim o Tappara conseguiu marcar apenas mais um. O KalPa venceu fora de casa por 3-2 conseguindo dar um passo importante.

O segundo jogo foi quase igual ao primeiro, o detalhe que muda nos aspectos gerais é que o Tappara quem saiu na frente dessa vez, mas o KalPa marcou 3 gols antes que o Tappara fizesse o segundo. Novamente o placar de 3-2 deu a vitória ao KalPa, que conseguiu fazer 2-0 na série aparentemente dominando a fera chamada Tappara.

Na terceira partida o Tappara conseguiu fazer o que sabe fazer melhor, atacar, atacar, atacar e atacar. Em seus domínios, o time de Tampere abriu a contagem no segundo período, o KalPa empatou no período seguinte, mas o Tappara não se cansou e continuou atacando até que voltou a frente. O placar de 2-1 para o Tappara acabou dando a vitória para o time, mas a série estava 2-1 para o KalPa.

O quarto jogo foi amplamente dominado pelo Tappara, mesmo como visitante o time de Tampere impôs-se e igualou as coisas na série. A vitória veio com um placar de 5-2, a segunda linha do Tappara dominou o gelo e conseguiu marcar 3 dos 5 gols do time. Por outro lado, o KalPa tentou fazer seu jogo, mas dessa vez foi completamente superado pelo poderio do Tappara.

A quinta partida foi em Tampere, o jogo foi novamente muito parelho, Tappara e KalPa travaram um duelo definido nos detalhes. O primeiro período passou sem gols, mas sendo muito disputado, já no segundo período o poder do time que defende o título começou a surtir efeito. No segundo minuto do segundo período o placar foi aberto por Teemu Nurmi, o Tappara saíra na frente, o até KalPa pressionou, mas sem sucesso. Então na metade do terceiro período o Tappara fez 2-0, o KalPa novamente pressionou, chegou ao gol com Janne Keränen, mas não passou disso. O Tappara venceu por 2-1 em seus domínios e virou a série para 3-2 ao seu favor, ficando a uma vitória do bicampeonato.

O sexto jogo, valendo título para o Tappara, por outro lado uma esperança para o KalPa, os times começaram buscando espaço para atacar, o primeiro período foi muito equilibrado, mas terminou sem gols. Então no segundo período o KalPa começou dominando o jogo, com tudo o Tappara conseguia bloquear avanços e num mortal contra ataque acabou abrindo o placar, o KalPa construiu o empate e o alcançou ainda no segundo período. O terceiro período começou com ambos os times nervosos, mas a medida que eles se soltaram o jogo esquentou novamente, então quase na metade do período o Tappara aproveitou um power play e voltou a frente. A corrida do KalPa contra o tempo começara, o grande problema para o time da casa foi que o Tappara não desistiu do jogo, o KalPa pressionou, mas o Tappara se doou para defender e nos segundos finais a vitória foi selada por  com um gol na rede desprotegida.

tappara_Tomi Hänninen
Jogadores do Tappara comemoram o bicampeonato fora de casa (Foto: Tomi Hänninen)

O Tappara chegou ao bicampeonato consecutivo com todos os méritos possíveis, foi o melhor time da Liiga desde o primeiro dia, além de tudo, com o título conquistado nessa temporada, o Tappara chegou aos 10 títulos e se tornou o maior campeão nacional da Finlândia ao lado do TPS. A temporada na Finlândia terminou com o campeão defendendo o título, talvez não com tanta facilidade que parecia que iria fazer em alguns momentos, os adversários fizeram o Tappara ter que dar tudo de si para voltar a levantar a Kanada-Malja.

SHL                                           

Tendo o HV71 vencido o primeiro jogo, o Brynäs sentiu-se obrigado a vencer em seus domínios. O time da casa abriu o placar no primeiro período, ampliou no começo do segundo período, mas o HV71 correu atrás e ainda no segundo período empatou a partida. Mesmo com maior domínio, o Brynäs não alcançou novamente o gol dentro dos 60 minutos, tão pouco o HV71, isso fez com que o jogo fosse para a prorrogação. No tempo extra o Brynäs conseguiu a recompensa, Linus Ölund marcou o gol vencedor do jogo e igualou a série.

Mesmo o terceiro jogo sendo na casa do HV71, o Brynäs quem começou vencendo o jogo, os donos da casa dominaram maior parte da partida, mas os times ficaram trocando gols e ao término de 3 períodos estavam empatados em 3-3. A pressão do HV71 continuou, mas novamente quem chegou ao gol foi o Brynäs, Tomas Zaborsky marcou o gol da vitória na prorrogação e o Brynäs passou a frente na série.

De volta a Brynäs para o jogo quatro da série, o período de abertura passou em branco, foi até lento. No segundo período as coisas mudaram, o Brynäs abriu o placar, o HV71 empatou, os times começaram a trocar gols no terceiro período fazendo parecer que o jogo ou iria para a prorrogação ou terminaria com uma diferença mínima para um dos times, porém quando o placar chegou a 3-3, o HV71 ganhou momentum e ampliou para 5-3, o Brynäs marcou mais um gol, mas o HV71 fez 6-4 e devolveu a derrota fora de casa.

Quinto jogo, disputado em Jönköping, equilíbrio novamente nos números. HV71 e Brynäs duelaram de igual para igual nessa partida, mas um dos times marcou gol e o outro não. E mesmo fora de casa, o Brynäs quem saiu com a vitória, marcou o primeiro gol no minuto final do segundo período e fechou o jogo marcando outro gol nos segundos finais fazendo 2-0. Felix Sandström foi um jogador chave no jogo, obviamente o shutout pesou muito mais devido ao placar mínimo até os instantes finais de jogo, o desempenho do goleiro do Brynäs assegurou, junto aos gols, a vitória no jogo e o placar de 3-2 na série.

A sexta partida começou com o HV71 avassalador, o time queria forçar o jogo 7, com 3 gols no primeiro período e mais 1 no segundo, o HV71 parecia ter matado o jogo rapidamente. Mas o hóquei no gelo tem suas máximas e entre elas está o velho bordão do “só termina quando acaba”, o Brynäs voltou em seu máximo no terceiro período e o HV71 recuou, o time da casa chegou a diminuir o placar para 4-3, mas nos instantes finais Oscar Sundh fechou a conta no jogo 6. A vitória por 5-3 do HV71 fez com que fosse necessário um jogo 7.

Jogo 7, sempre uma oportunidade para o épico, última chance de os heróis conseguirem aparecer, mas só um pode ser campeão. O jogo foi parelho novamente, as equipes se entregaram no gelo para sair com o título, mas quem abriu o placar foi o Brynäs, Jacob Blomqvist colocou os visitantes a frente. O segundo período passou, o terceiro período chegou e Christoffer Törngren empatou a partida, empate que permaneceu até o final. O último jogo da temporada foi decidido no tempo extra, um modo extremamente estressante para os fãs, mas extremamente épico, a temporada terminou de maneira épica. Foram exatamente 11 minutos e 1 segundo, alguns sustos para um lado e para o outro, mas tudo terminou quando Simon Onerud marcou o gol da vitória e do título para o HV71. Festa da torcida em Jönköping e dos jogadores do HV71, decepção dos jogadores do Brynäs, eles chegaram muito perto, mas não conseguiram.

Simon Onerud_Stefan Persson - Bildbyrån
Simon Onerud celebra o gol do título (Foto: Stefan Persson/Bildbyrån)

A temporada da SHL terminou de modo incrível, foi até a prorrogação do jogo 7 das finais. O HV71 conseguiu em silêncio fazer um final de temporada regular muito bom e entrar na pós-temporada pronto para vencer qualquer um, talvez em teoria o caminho do time não tenha sido tão difícil quanto poderia ter sido, mas não importa, enfrentou quem veio pela frente e venceu todas as séries que disputou, teve cabeça para vencer um jogo 6 na casa do adversário para garantir jogo 7. O HV71 consegue seu quinto título na SHL e fecha com chave de ouro a temporada na Suécia.

hv71_Bildbyrån
Troféu sendo erguido pelos jogadores do HV71, fechando a temporada (Foto: Bildbyrån)

Encerramento de Temporada

A temporada na Europa está terminada! Ao menos com os clubes, em breve tem o Campeonato Mundial da IIHF (o único com seleções de verdade, diferente daquele torneio de pré-temporada que a NHL fez ano passado com seleções genéricas desprestigiando países com tradição enorme no hóquei no gelo), que basicamente se liga com a temporada europeia. Passamos por países diversos e vivemos momentos felizes, emocionantes, tristes, diferentes, alguns bizarros até, tudo o que faz parte do esporte e acima de tudo, da vida, impossível dissociar o esporte da vida por motivos que eu já abordei em outros textos aqui.

Eu sei que o esporte não é dos mais populares e as ligas europeias não tem tantos adeptos nesse país, mas não importa realmente. Ora, se eu quisesse sucesso e popularidade inventaria minha própria versão do TMZ ou estaria fazendo análise de teaser trailer de filme de herói, não estou aqui por isso e sim pela paixão por esse esporte, claro que o resto não faz mal também. Aqueles que leram uma ou todas as edições dessa coluna na temporada fica meu agradecimento pela audiência. Agradeço também ao Mateus Luiz pelo espaço dado, sem esse espaço não sei o que eu teria feito realmente, aos colegas de Puck Brasil, as pessoas que deram dicas de pauta durante a temporada e a todos que comentaram algo, elogiaram, fizeram críticas. Agradeço também aos fotógrafos e empresas que deixam usar seu material de graça apenas creditando o trabalho original, esses são muito importantes na hora de ilustrar as cosias por aqui e, finalmente, fica também meu agradecimento especial as minhas fontes de inspirações diárias: Brian Leetch, Mark Messier, Luke Skywalker, Aragorn, Frodo e Bender Bending Rodríguez.

Fica aqui o registro para os times que ganharam suas ligas nacionais e não foram abordados aqui anteriormente: CHH Txuri Urdin (Liga Nacional – Espanha), HDD Jesenice (Državno prvenstvo Slovenije – Eslovênia), HK Beograd (Prvenstvo Srbije – Sérvia), ASC Corona 2010 Brasov (Liga Nationala de Hochei – Romênia), Comarch Cracovia (Polska Hokej Liga – Polônia), Stavanger Oilers (GET Ligaen – Noruega), DVTK Jegesmedvék (MOL Liga – Hungria), Energija Elektrénai (Nacionaline Ledo Ritulio Lyga – Lituânia), HK Kurbads (Latvijas Virsliga – Letônia), SV Renon (Serie A – Itália), Skautafélag Akureyrar (Icelandic League – Islândia), Narva PSK (Meistriliiga – Estônia), Esbjerg Energy (Metal Ligaen – Dinamarca), KHL Medvescak Zagreb 2 (Croatian League – Croácia), Neman Grodno (Belarus Extraliga – Belarus) e UNIS Flyers (BeNe-League Ijshockey – Belgica e Países Baixos/Holanda).

Essa coluna entra de férias, hora de celebrar o fim de uma temporada de sucesso nos gelos Do Velho Mundo. Continuo por aí, em outros textos, artigos, opiniões, cornetas, trazendo novas, ou nem tanto assim, ideias e sempre criticando a postura dos donos de time da NHL e seu garoto de recados, Gary Betman, claro. E as vezes falando bem também, mas só de vez em quando…

Do Velho Mundo se despede por enquanto, mas quando os times voltarem ao gelo pelos países do Velho Mundo, ela volta também. Voltamos em 2017-18 para outro tour sem passaporte, sem sair do lugar e quem sabe com grandes momentos para serem relatados e lembrados.

Danny aus den Birken-Matthias Balk dpa
Hora de seguir o exemplo de Danny aus den Birken, goleiro do Red Bull München (Foto: Matthias Balk/ dpa)

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s