Do Velho Mundo – Não é Apenas Uma Taça Internacional, Dois Times em Pé de Igualdade, Recorde Quebrado na França et autres questions.

Do Velho Mundo – Não é Apenas Uma Taça Internacional, Dois Times em Pé de Igualdade, Recorde Quebrado na França et autres questions.

Primeiramente: Feliz ano novo! Segundamente: Bom dia, boa tarde, boa noite! Mais uma edição de Do Velho Mundo, a primeira desse ano glorioso (assim espero) de 2017. Começa o ano, as brigas por playoffs vão afunilando, o desespero para escapar do sistema de rebaixamento/promoção aumenta, os heróis e vilões começam a surgir ou se destacar. Mas antes de tudo isso, voltamos aos relatos do principal torneio convidativo de hóquei sobre o gelo. O que aconteceu na Spengler Cup?

Spengler Cup

Como falado na edição anterior, a Spengler Cup começou com uma vitória do HC Lugano sobre o Avtomobilist, de Yekaterinburg na Putinlândia, o segundo jogo teve uma vitória do Dinamo Minsk sobre o Canadá (seleção formada por jogadores que atuam na Europa). Os perdedores desses jogos voltaram ao gelo já no dia seguinte, o Avtomobilist para enfrentar o Mountfield HK e o Canadá tinha como adversário os donos da casa, HC Davos. O jogo entre Mountfield HK e Avtomobilist foi uma grande batalha, os russos abriram o placar logo no começo, o Mountfield empatou poucos minutos depois e eles trocaram gols até que Richard Jarusek marcou o que seria gol da vitória para o Mountfield, final Mountfield 4-3 Avtomobilist. O outro jogo da terça-feira foi mais físico e cheio de penalidades, os jogadores tanto do Canadá quanto Davos usaram bastante da força física e em alguns momentos cometeram penalidades bobas por conta disso. No final o Canadá levou a vitória em um jogo apertado, 4-3.

A quarta-feira nos gelos da Spengler Cup começou com outra partida de muitos gols e uma polêmica em um deles, o que foi o último do jogo. O HC Lugano vencia o Mountfield HK por 4-1, o time da República Tcheca fez o segundo gol em situação shorthanded e minutos depois fez o terceiro gol, com tudo na jogada o goleiro do Lugano machucou a virilha fazendo uma defesa e não conseguiu se levantar, os árbitros não pararam a jogada e os jogadores do Mountfield tiveram o gol aberto. A regra manda a jogada parar quando há um jogador gravemente machucado no gelo, o problema é que os árbitros não julgaram a contusão grave e mantiveram o gol, mesmo o goleiro não podendo exercer sua função, mas isso não mudou o resultado final do jogo: HC Lugano 4-3 Moutnfield HK, o time suíço garantiu o primeiro lugar no grupo Torriani e avançou as semifinais. No segundo jogo da quarta feira o HC Davos e o Dinami Misnk disputaram o jogo final da primeira fase, com uma explosão ofensiva no segundo período o time de Davos abriu uma vantagem confortável de 3 gols, o Dinamo Minsk diminuiu para 1 gol apenas, mas o placar final foi Dinamo 4-5 Davos. Com esse resultado todos os times do grupo Cattini terminaram a primeira fase com 3 pontos, mas pela vitória por mais de um gol no jogo contra o Canadá, o Dinamo Minsk ficou em primeiro e avançou as semifinais do torneio.

A fase de pré-semifinais começou com uma goleada do Canadá sobre o Mountfield HK, 5-1 fora o baile, os canadenses se qualificaram para enfrentar o Dinamo Minsk. Então HC Davos e Avtomobilist entraram no rinque para definir quem seria o adversário do HC Lugano, o time da casa venceu por 3-1 em um jogo com pouca emoção, definindo assim uma semifinal suíça.

Canadá e Dinamo Minsk entraram no rinque abrindo as semifinais no penúltimo dia do ano, foi um jogo disputado e outro 4-3, dessa vez a seleção Canadense conseguiu a vitória e chegou a final do torneio para defender seu título. Mais tarde Lugano e Davos tomaram o gelo, uma vitória fácil inesperada por 4-0 para o time de Lugano fez com que ele avançasse para a final.

A grande final começou equilibrada, mas no segundo período o Canadá abriu uma vantagem de três gols e o Lugano não conseguiu recuperar, a vitória por 5-2 sobre o HC Lugano garantiu o bicampeonato e a décima quarta conquista para os canadenses. Foi mais uma bem sucedida Spengler Cup, com bons jogos, zebra e muitos ânimos exaltados dos jogadores, jogos a valer, mesmo que seja “apenas” um torneio convidativo. São as equipes que jogam que fizeram a Spengler Cup ganhar a importância internacional que ganhou, a ponto de recolocar jogadores e treinadores no radar da poderosa NHL. Não é apenas uma taça internacional, é a Spengler Cup.

EISHOCKEY SPENGLER CUP 2016 TEAM CANADA LUGANO
Pela décima quarta vez o Canadá sai triunfante em Davos (Foto: http://spenglercup.ch/)

SHL

A briga entre Brynäs e Växjö pelo segundo lugar continua com os dois em pé de igualdade e conseguindo resultados iguais todos os jogos, ambos somaram 5 pontos na última semana e tudo começou com uma vitória no overtime para o Brynäs e uma no shootout para o Växjö, depois ambos venceram no tempo normal no último jogo de 2016 e assim terminaram o ano com 56 pontos. O Brynäs tem um jogo a menos, isso pode ser uma vantagem futura, mas por enquanto a disputa entre eles é jogo a jogo, quem continuar vencendo terá chances de passar o rival, mas por enquanto os dois tem feito tudo em pé de igualdade.

Liiga

Em terras finlandesas o Tappara voltou a dominar o campeonato com folga, chegou aos 77 pontos antes de ir comemorar a passagem de ano e tem 8 pontos a mais que o segundo colocado. O Tappara tem o melhor ataque da Liiga com 113 gols marcados, entre seus atacantes Henrik Haapala e Veli-Matti Savinainen disputam para ver quem tem mais pontos, Haapala tem 38 e Savinainen 27, Savinainen é também o artilheiro da Liiga com 20 gols. O Tappara conseguiu voltar a toada inicial da temporada, sua recuperação mostra que existe um desnível real e que o Tappara é realmente o principal candidato a erguer a Kanada-malja ao final da temporada.

ELH

O final do ano na Tchéquia (nome pelo qual o país gostaria de ser chamado, já que República Tcheca seria “frio” e extremamente formal, como se falassem ou escrevessem República Federativa do Brasil todas as vezes que fossem se referir ao Brasil) foi boa para o Verva Litvínov, que se aproxima cada vez mais do HC Kometa Brno. A 4 pontos do terceiro colocado, a ascensão do time de Livínov está sendo coroada cada vez mais.

Em situação contrária, o Kometa virou estrela cadente (ba dum tss) e começou a encontrar muitas derrotas em um caminho que parecia ser mais tranquilo no início da temporada. O time continua marcando muitos gols, são 119 em 34 jogos, mas tem levado muitos gols a mais do que sofria e perdido alguns jogos por isso. Ano novo, fase nova, é isso que os jogadores, funcionários e torcedores do Kometa querem para 2017.

Extraliga Eslovaca

Cruzando a fronteira para as terras eslovacas, vemos que nada mudou para 2017. O panorama formado em dezembro é o HC 05 iClinic Banská Bystrica está na frente, seis pontos atrás vem o HC Kosice, um pouco mais atrás o HK Nitra, daí são dez pontos para o MsHK Zilina e assim sucessivamente até o HK Dukla Trencín com 38 pontos. Talvez as coisas mudem nesse ano novo, talvez não, mas o hóquei eslovaco deu passos importantes em 2016 e precisa continuar evoluindo para o bem do esporte (é sempre bom que o esporte evolua em diversos lugares para termos mais ligas fortes e mais jogadores de alto nível).

EBEL

O ano de 2017 começa com batalhas armadas para os times conseguirem alcançar os playoffs em posições melhores, quem termina a temporada regular a frente tem sempre vantagem. Pelo estilo de classificação para os playoffs, todos ainda tem chances reais e essa reta final vai definir quem disputará as melhores posições e quem terá que brigar pelas duas vagas restantes. A regra da EBEL é que na temporada regular todos enfrentam todos duas vezes em casa e duas vezes fora, após isso do primeiro ao sexto lugar disputam um jogo contra cada para finalizar a classificação, sendo que os quatro primeiros começam já com alguns pontos. Do sétimo ao décimo segundo lugar eles fazem uma disputa igual, mas apenas os dois primeiros avançam aos playoffs. Que comece a briga para chegar aos playoffs e que seja a melhor possível.

DEL

Na Alemanha o ano termina como começou, o Red Bull München a frente de todos. O time de Munique continua a sua incrível saga com um ataque espetacular, chegou a 113 gols em 33 jogos disputados, desses 33 jogos, apenas em 6 não marcou pontos. A marca de 73 pontos foi alcançada com força e consistência ofensiva, além de uma boa defesa, um ataque que garante pontos em uma boa parte dos jogos e assim continua a mover a máquina industrial patrocinada por uma grande indústria.

O ano terminou bom para o Düsseldorfer EG, o time vinha muito mal e após um bom dezembro chegou a zona de playoffs. Talvez tudo o que precisava era vencer alguns jogos para embalar e não mais sair de um lugar onde se esperava que fosse seu lugar. O bom time de Düsseldorf pode ter um grande 2017 pela frente, os primeiros passos para isso foram dados.

Outra equipe que começa 2017 bem é o Fischtown Penguins, o novato na DEL vem fazendo uma temporada muito melhor que o esperado, os 47 pontos em 34 jogos colocam o time de Bremerhaven no 9º lugar e na disputa com o Eisbären Berlin para ter a vantagem de poder disputar 2 jogos na fase preliminar de playoffs na série melhor de 3 jogos. O time faz nada de extraordinário, joga bem em casa e fora, consegue somar pontos e assim vai encaminhando para chegar a pós-temporada em sua primeira temporada na divisão superior do hóquei no gelo alemão.

SML

parc-olympique-lyonnais_parcol
O show antes da entrada dos times para o jogo (Foto: @parcol)

25182 (vinte e cinco mil cento e oitenta e duas) pessoas compareceram ao Parc Olympique Lyonnais na noite do dia 30 de dezembro para assistir o jogo entre Lyon HC e Grenoble Brûlers de Loups. O maior público da história do esporte na França, um recorde muito bom quando se pensa que o esporte não é dos mais populares no país. Em um estádio para quase 60 mil espectadores, parece pouco, mas é onde se pode chegar por enquanto. O jogo foi vencido pelos visitantes, Lyon 2-5 Grenoble foi o placar final. Esse foi o primeiro passo de muitos para elevar a popularidade do esporte no país, que tem um nível médio descente, mas falta maior apoio popular e eventos que chamam atenção podem ser uma estratégia boa. A França é um dos países mais tradicionais no esporte, mesmo que historicamente não seja dos mais fortes, sua liga é a segunda mais antiga do mundo, muitos anos mais velha do que a NHL, num momento em que o esporte cresce dentro do continente seria bom ter maior apoio dentro de um dos países mais tradicionais. Essa é a missão da SLM agora, bater esse público em uma próxima edição do Winter Game e fazer o interesse aumentar, o primeiro passo foi dado e dado de forma boa.

parc-olympique-lyonnais_parcol_alpedhuez
25 mil 182 pessoas compareceram ao Parc Olympic Lyonnais e estabeleceram um novo recorde de público do esporte na França (Foto: @alpedhuez / Via: @parcol)

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s