Do Velho Mundo – A Maratona na Suécia, Morreu e Não Passa Bem, O Time Cataclísmico da Letônia, entre outros assuntos.

Bom dia, boa tarde, boa noite! Chegamos a mais uma edição de Do Novo Mundo, trazendo uma visão às vezes ortodoxa, às vezes louca mesmo, das principais, ou não, ligas de hóquei no gelo na Europa. Começamos nosso passeio pelas terras germânicas e seu campeonato extremamente prolífico:

DEL

O EHC Red Bull München está muito bem e parece ter muita energia para gastar ainda, parecendo até que tomou uma boa dose de energético (desculpa). A verdade é que, assim como o irmão de Salzburg, o dinheiro investido é bem gasto. O time faz boas contratações, mantem jogadores, mas também investe bem na formação de jogadores, num departamento médico de ponta, em contratar e formar os melhores técnicos, é a filosofia que a Red Bull tem em todos os esportes em que investe. O trabalho vem rendendo muito bem, o time há algumas temporadas é um dos melhores dentro da Alemanha e o futuro próximo parece continuar a ser brilhante. Com tudo, o Red Bull München tem que mirar no bicampeonato, que é palpável, mas para isso vai precisar jogar muito bem até o final e é isso que dá espaço e esperança para os demais times.

red_bull_munchen_dpa
O Atual campeão da DEL continua a ser maior força na Alemanha e tem um projeto para o futuro (Foto: DPA)

No meio da tabela, o Eisbären Berlin se recuperou e está dentro da zona de playoffs. Chegou a ocupar o décimo segundo lugar do campeonato, mas subiu e agora está em sexto, o que garantiria uma vaga para as quartas de final de modo direto. É um time desequilibrado, que marca gols e sofre gols com quase a mesma frequência, com tudo que tem garra e vontade, e isso, por enquanto, é o que garante a boa colocação. Entretanto, nos esportes profissionais viver de garra e vontade é perigoso, porque a qualquer momento a técnica adversária pode superar suas forças e sua campanha pode se transformar em um desastre.

EBEL        

20.09.2014 EHC Liwest Black Wings Linz - HCB Suedtirol
Mesmo oscilando, a boa fase continua em Linz (Foto: Fabio Hofer)

O EHC LIWEST Black Wings Linz mesmo oscilando permanece na briga das três melhores campanhas do campeonato. Chegou a ficar na primeira colocação, mas terminou a semana em terceiro após uma derrota em um jogo muito equilibrado em Bolzano. Com 49 pontos, tem o mesmo tanto que o Red Bull Salzburg, perde no saldo de gols, e está a 3 pontos do Vienna Capitals. Para sorte e azar ao mesmo tempo, os times que estão nas posições intermediárias começaram a jogar melhor e a tirar pontos dos três lideres do campeonato. Para o time de Linz vale continuar jogando bem e ser mais persistente nas partidas que são muito disputadas, porque nenhuma refeição é grátis.

ELH

O segundo bloco se quebrou na República Tcheca, o HC VERVA Litvínov se destacou, o Mladá Boleslav caiu um pouco. Assim Mountfield HK, Sparta Praha Piráti Chomutov continuam brigando entre si pelo quinto e sexto lugares. As duas posições dão lugar direto nas quartas de final, deixam uma folga pequena no calendário que pode ser muito bem aproveitada, por isso as equipes lutam jogo a jogo, ponto a ponto, cabeça a cabeça por essas posições. Mountfield HK e Sparta Praha vem ocupando essas colocações, o grande problema para o Mountfield HK é que ele tem 3 jogos a mais que o Chomutov e 4 que o Sparta Praha, são pontos de mais que esses times podem somar e se destacar. Dependendo do que acontecer um novo bloco se formará e dessa vez pode brigar pelo quarto lugar junto ao HC VERVA Litvínov, mas isso é assunto para o futuro.

Liiga      

No país considerado pai da arquitetura moderna, o destaque desta semana é o TPS. Representando a cidade de Turku, a quinta maior da Finlândia, o TPS é um dos times mais antigos e mais bem sucedidos e nessa temporada vem fazendo um bom trabalho. Ocupa o terceiro lugar, tem o segundo melhor ataque e a melhor defesa do campeonato, sua campanha é de 15 vitórias (3 delas no overtime ou shootout) e 8 derrotas (3 delas somando 1 ponto). São números bons de um time que sabe jogar, tem bons jogadores e consegue fazer o que se propõe e consegue dominar muitos dos jogos que disputa. O grande destaque individual do time é Erik Thorell, segundo maior goleador da Liiga com 13 gols e terceiro melhor pontuador com 20 pontos, o sueco joga entre os profissionais desde 2009-10 e após perder espaço no país natal parece ter reencontrado o caminho no vizinho.

SHL

O Frölunda está sobrando na SHL nesse momento, são 9 pontos a frente de Brynäs e Malmö, os times que vinham bem e brigando na frente começaram a perder momentum e estão fazendo menos pontos do que nos primeiros meses da temporada. Enquanto isso o Frölunda mantem o ritmo e vai abrindo frente, como um bom maratonista não gastou todas as energias no começo e, após ver que poderia aumentar o ritmo, aumentou, passou todo mundo e preserva a liderança, enquanto quem vinha logo atrás dele perdeu folego. O favoritismo do principio da temporada vai se confirmando, mas ainda falta muito para acontecer.

vaxjo_lakers_jonas-ljungdahl_bildbyran
Um dos maratonistas em melhor fase, o Växjö Lakers aproveita o momento para ganhar posições (Foto: Jonas Ljungdahl/Bildbyrån)

A perda de fôlego dos times que vinham brigando nas primeiras posições permitiu que o Växjö Lakers chegasse nesse bloco do meio. Atualmente ocupa o 5º lugar com 38 pontos, apenas a 3 do Brynäs que é o 2º lugar, com o ataque produzindo muitos gols e a defesa conseguindo fazer o necessário, pode ser que em breve o Växjö esteja em uma posição melhor, por enquanto já ficar dentro da zona que vai diretamente as quartas de final é um bom começo, mas com os demais maratonistas sofrendo nesse momento, pode ser que o Växjö continue a ter a oportunidade de ultrapassar alguns desses times que estão ao seu alcance.

Extraliga Eslovaca

O HK Nitra morreu e não passa bem. Adaptando a famosa frase da internet para explicar o que parece inexplicável. O HK Nitra vinha muito bem, brigando pelas primeiras posições e estacionou nos 47 pontos, vem jogando mal e perdendo jogos há algum tempo. O que explica eu não sei sinceramente, o time está saudável, o que se pode explicar é algum problema interno, mas qualquer explicação que eu poderia teorizar não passaria de pura especulação.  Simples assim, com tudo seria interessante se o HK Nitra resolvesse todo e qualquer problema que possa ter e voltasse a jogar bem, porque é um time com muito potencial que vem desperdiçando tudo o que pode fazer.

Enquanto isso HC 05 Banská Bystrica e HC Kosice permanecem na ponta e vão de digladiando pelo primeiro lugar. O Bystrica está um ponto a frente de Kosice, eles tem 59 e 57 pontos respectivamente e não parecem que vão perder a energia que tem, mas depois do que aconteceu ao HK Nitra nunca se sabe. Com tudo, por enquanto os dois são inalcançáveis e tentam monopolizar a Eslováquia.

NLA

Nada muda nos Alpes, ou ao menos nada de muito grande. ZSC Lions, SC Bern e EV Zug estão nos três primeiros lugares, Lausanne HC e EHC Kloten vem logo após, o resto briga pelas vagas restantes de playoffs e fugir da temida Zona da Confusão (LUXEMBURGO, Pofexô). É um pouco chato para quem vê de fora esse padrão se mantendo, a boa notícia é que isso não decida o campeonato e os playoffs podem salvar. Imagina o quão chato seria um campeonato onde os times ficam em disputas localizadas, mas a grande figura nunca muda, poderia sair criticando pesadamente o quão maçante é para quem assiste esse tipo de torneio, mas não preciso. Ponto muito favorável existir uma pós-temporada, assim os times tem pelo que brigar até o final e não deixar tudo ao acaso.

Latvijas Virsliga

Desembarcamos em terras letãs para falar do cataclísmico HK Pardaugava Riga. Poucas palavras definiriam a situação do Pardaugava como cataclísmico, obviamente usando o sentido figurado e não literal da palavra, já que o literal do termo significa um desastre generalizado de caráter ambiental.

O campeonato da Letônia conta com sete times, sendo três deles sediados na capital do país, Riga. Os três times da capital ocupam o fundo da tabela, mas nada se compara ao cataclismo que sofre o HK Pardaugava Riga. O time disputou 15 partidas, sua campanha é 0-0-0-15 ou seja, 0 vitórias (tempo regulamentar), 0 vitórias no tempo extra ou shootout, 0 derrotas na prorrogação ou shootout e 15 derrotas. Isso mesmo, são 15 derrotas em 15 jogos! Fazendo os cálculos aqui rapidamente, eu chego a conclusão que isso somam… Só um momento… Vai três, divide por 5 mil, soma 9 milhões, eleva ao cubo, subtrai 200, deriva, aplica a fórmula de Bhaskara, integra, agora é só multiplicar tudo por 0… Isso dá um total de 0 pontos! E para melhorar (?) a situação o time tem saldo de gols de -122, MENOS CENTO E VINTE E DOIS! Foram cento e vinte e dois gols sofridos a mais do que marcados, o Pardaugava sofreu 145 e anotou pífios 23 gols.

Não há o que dizer, apenas pedir piedade divina porque a situação não é nada mais e nada menos do que um cataclismo. Que Brian Leetch tenha piedade de todos os jogadores, treinadores, funcionários, donos, acionistas, torcedores e até mesmo das baratas que habitam os esgotos das facilidades deste time.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s