Melhor de 7 – Edição 2

Bem vindos a segunda edição da nossa mesa redonda puckiana! Dessa vez, 4 amigos: Thiago, o grande @hoqueifanatico; Mateus Luiz, o menino alegre do café, @MatsBats23; Mattheus Prudente, grande torcedor do Capitals, @prudentchkin; e Lucas, o torcedor mais fanático do Flames no Brasil, @lucas_flames discutem mais 7 questões atuais sobre a NHL. Confiram abaixo!

  1. Por que o abismo entre Rangers, Penguins e Capitals e os demais times da divisão metropolitana é tão grande?

Thiago: Rangers, Penguins e Capitals são times bons, tem seus defeitos, mas analisando seus rivais de divisão é visível que Hurricanes e Blue Jackets tem sofrido para montar seus times e comissões técnicas, são mercados pequenos e sem peso, mesmo ambos tendo talentos ambos são times muito incompletos. Islanders e Devils tem problemas diferentes, enquanto o time de New Jersey está se reconstruindo, e muito bem, visando ser mais competitivo no futuro próximo, o time de Nova York está passando por muitos problemas, desde sua “casa” até problemas para contratar ou manter os talentos, a última offseason foi cruel com o time. Esses fatores dão vantagem aos 3 times que vem disputando a supremacia da divisão nos últimos anos por serem equipes mais estabelecidas.

Mateus Luiz:  Apesar da pergunta ser complexa, a resposta é meio fácil. Rangers é o time mais bem treinado da NHL hoje. Capitals tem Braden Holtby, Alex Ovechkin e Nicklas Backstrom. Penguins tem Sidney Crosby, Evgeni Malkin, Kris Letang e é o atual campeão. Mas falando sério, Capitals e Penguins vem sendo powerhouses da NHL desde 2008, desde lá em apenas uma temporada um deles ficou de fora dos playoffs (Capitals em 2014). São duas franquias comandadas por dois dos melhores jogadores da história, um belo elenco de ajuda e bem treinados é até normal que eles estejam a frente. Já no caso do Rangers, mesmo não tendo o nível de talento dos outros dois, é uma equipe que tem boas peças além de um goleiro espetacular e ser treinada por um dos melhores técnicos da NHL na última década. São três grandes equipes que por seus motivos peculiares estão bem a frente de seus concorrentes na divisão e na conferência.

Lucas: A resposta chega a ser simples. São times mais bem estruturados e bem treinados, todos com ótimos jogadores.  Alguns, como Crosby, Ovechkin e Lundqvist são espetaculares. Sem falar que vem dominando a divisão não é de hoje. Os demais times da divisão, ou são times de menor expressão, como o Hurricanes, ou estão em reconstrução, como o Islanders, que inclusive, problemas não faltam pra esse lado de Nova York.

Mattheus Prudente: Jogadores decisivos e poder de defesa. Capitals e Penguins tem os dois melhores jogadores da NHL e, mesmo que agora estejam sofrendo, a defesa de Washington foi a menos vazada da temporada passada. O Forecheck dos Penguins foi o principal trunfo do time nos playoffs do ano passado, e isso ajuda muito a defesa, já que os adversários não conseguem chegar no ataque. Os Rangers, além disso tudo, tem poder de renovar o seu elenco e ainda manter o nível, isso é importante para que sempre apareça algo diferente a cada temporada, além de estar no melhor mercado dos EUA.

Lundqvist.jpg
Rangers e Capitals, junto com o Penguins, dominam a divisão Metropolitana. Por que e até quando? Foto: Geoff Burke/US Presswire
  1. Com um mês de temporada, qual treinador/diretor está em mais perigo de perder o emprego?

Thiago: Glen Gulutzan, treinador do Calgary Flames, é provavelmente o mais ameaçado. O plantel em teoria é bom e a divisão não é complicada, mas a equipe vem falhando em muitos pontos de modo que o comandante não vem conseguindo fazer seu trabalho. Outro que corre algum risco significativo é Jack Capuano, o New York Islanders tem muitos problemas, mas o elenco tem potencial para fazer mais do que vem fazendo, e se o potencial teórico não é aproveitado, cabeças rolam.

Mateus Luiz: Nos treinadores, Glen Gulutzan é o único nome que vem na mente agora. Um time como o Calgary Flames, cheio de bons jogadores e apontado antes da temporada como um dos candidatos ao título de divisão não pode começar a temporada com uma campanha 5-10-1 e apenas tendo marcado 5 powerplay gols. É claro que tem a desculpa de ser um esquema de jogo completamente diferente de seu antecessor mas ainda assim, é um começo horrível e inaceitável para o que a equipe espera. Entre os diretores, destaco a dura vida da dupla Jim Benning/Trevor Linden em Vancouver.

Lucas: Gulutzan, com certeza, A campanha do Flames diz por si só. Um dos piores times da liga, mas com um bom elenco. Time apático e inerte no gelo, parece ser muito mal treinado. Os numeros refletem isso. Pior power play, segundo pior penalty kill, maior numero de gols sofridos na liga, pior saldo de gols e agora quatro derrotas seguidas. É o primeiro time na liga a chegar a marca de 10 derrotas. Se alguem tiver que ser demitido, com certeza é Gulutzan, e, um apelo de todo torcedor do Flames: leve o Cameron com vc.

Mattheus Prudente: Gulutzan, sem dúvidas.

ForaGulutzan.jpg
Gulutzan com a corda no pescoço no momento. O Flames vai melhorar a situação? Foto: Calgary Sun
  1. Se a free agency fosse aberta hoje, quais seriam as chances de John Tavares permanecer no NY Islanders?

Thiago: Pode começar com uma boa proposta financeira, além de mostrar para ele que existe um plano de melhora para o futuro da franquia. Tavares é um talendo enorme que qualquer time gostaria de ter em seu elenco, um jogador extraordinário que precisa da oportunidade para brilhar e sua equipe está falhando em prover isso. Mas ele pode também simplesmente resolver escolher ser leal a franquia e ficar, nunca se sabe o que passa na cabeça de um jogador, se o emocional ou o racional pesar e, independentemente para qual lado, a vontade dele deve ser respeitada.

Mateus Luiz: A única certeza que tenho é de que não é 100% nem 0% . Se eu fosse capaz de apostar, diria que está entre 40 e 60%. Islanders não se pode dar ao luxo de perder seu franchise player e então provavelmente vai vender a alma pro diabo e não deixar ele sair. Mas um jogador como Tavares sabe que dinheiro não compensa falta de vitórias e títulos, é complexo.

Lucas: Tavares é um jogador fundamental para o Islanders, sendo a estrela da franquia. Na minha opinião, o Islanders vai fazer de tudo para mantê-lo na equipe, o que pode ser difícil, pois vários times estarão de olho nele e pode ser difícil segurar, dependendo da proposta oferecida.

Mattheus Prudente: Depende do financeiro. Muitas equipes tem cap muito aberto para ter uma estrela no seu elenco, como exemplo do Toronto Maple Leafs. Para Tavares ficar, basta os Islanders abrirem o cofre e torcerem para que ele seja fiel a franquia.

Tavares2.jpg
Tavares vai sair do Islanders? Foto: Getty Images
  1. A NHL planeja diminuir o equipamento dos goleiros, existe necessidade?

Thiago: Não há necessidade, o que a liga pretende é ficar presa no passado e não aceitar que os goleiros e o hóquei evoluíram e assim os gols ficam mais difíceis de serem marcados. Cada vez mais eles querem dificultar a vida dos goleiros ao invés de aceitar que o jogo não é mais como era há vinte, trinta anos atrás, e isso é bom para o esporte porque quem fica parado no tempo está sempre fadado ao fracasso. O que a NHL precisa é aceitar a realidade e trabalhar com ela, não contra ela, porque se não daqui a pouco vão estar banindo o estilo butterfly, aumentando o gol e tornando tudo uma ridícula tentativa de reviver o passado. O passado é belo, mas é o passado, o que precisa é trabalhar com o presente pensando no futuro.

Mateus Luiz: Essa é uma bela pergunta e eu confesso estar em cima do muro. De um lado, eu adoraria ver a NHL todo dia com jogos ao melhor estilo anos 80 com jogos 8-7 por toda parte e vários jogadores fazendo 100 pontos ou mais em toda temporada (nos últimos 3 anos, apenas Patrick Kane marcou 100+) mas do outro, acho que a liga já é high-scoring o suficiente como está hoje e os goleiros precisam de toda e qualquer proteção. Nesse caso sou mais favorável ao aumento dos gols (2cm’s pra cada lado e podemos ter 3-4 gols a mais cada jogo) do que a diminuição dos equipamentos.

Lucas: Todos os esportes evoluem. Com o hóquei, não é diferente. Essa medida seria um grande retrocesso para a liga e prejudicaria vários goleiros, sendo que eles sofrem demais mesmo com a proteção atual. Afinal, são atingidos por pucks o jogo todo. Dentes quebrados é o que não falta para um goleiro.

Mattheus Prudente: Não. Aliás, eu acho que deveria aumentar. Já que algumas partes ainda são desprotegidas para um goleiro, como o pescoço. Os goleiros não podem correr riscos, afinal, são os caras mais atingidos pelos pucks, e, a exemplo do que aconteceu com Clint Malarchuck, são os que tem menos reação contra os jogadores de linha.

nhl-goalie-equipment
Diminuir equipamentos dos goleiros? Ta falando sério, NHL? Foto: Mark Humphrey/Associated Press

 

  1. O que é mais importante num time hoje: Um bom backup goalie ou um bom bottom 6 de atacantes?

Thiago: Tentar ter ambos. Um bom backup faz com que seu primeiro goleiro possa descansar enquanto o backup pode fazer o seu trabalho com segurança. E por que é bom ter um bottom 6 de atacantes? O jogo atualmente está se tornando menos físico e mais veloz e habilidoso, Alain Vigneault desde que chegou ao New York Rangers vem tentando tirar os enforcer e dar mais espaço para jogadores que são mais capazes de marcar gols e na temporada atual conseguiu isso, vejo isso como a tendência atual na NHL, cada vez mais os atacantes que não conseguem pontuar estão ficando de lado, o New York Rangers é um exemplo, assim como o Pittsburgh Penguins e outros times. Claro que existe a barreira do salary cap e as vezes você precisa fazer escolhas, sendo assim não existe um ideal único, vária de caso para caso, eu como técnico apostaria no goleiro backup, mas sei que teriam pessoas que apostariam em melhorar o bottom 6 ofensivo.

Mateus Luiz: Com certeza, backup goalies. Mas também com certeza, a importância dos dois chega ao virtual 50/50. Usando como exemplo o atual campeão Penguins que ganhou 15 jogos com o backup Matt Murray e um com o TERCEIRO goleiro Jeff Zatkoff e a melhor linha do time dos playoffs foi a 3* comandada por Carl Hagelin, Nick Bonino e Phil Kessel. Mas se fosse pra escolher um, ter o goleiro reserva que possa manter o nível é crucial na NHL moderna, só ver o Canadiens 15-16 pós lesão de Carey Price para comprovar tal teoria.

Lucas: Eu fico em cima do muro nessa. Entendo muito a importância de um bom backup, pois uma lesão pode tirar o starter de ação em qualquer jogo, e tendo um backup bom e em quem você pode confiar, fica bem mais tranquilo. Mas, por outro lado, um bom bottom six te dá uma profundidade imensa no ataque, e o time pode rotacionar bastante as linhas durante a partida, causando o caos na defesa adversária. São ambas ótimas opções, e se puder ter os dois, não pense duas vezes.

Mattheus Prudente: Um bom backup goalie, pois, por mais que o ataque seja bom, vão haver dias que eles estarão mal, assim como o goleiro titular. Você precisa ter uma segurança lá atrás antes de passar para o bom ataque

InjuredPrice.jpg
O Canadiens sofreu com a falta de um bom backup com a lessão de Price na temporada passada. Foto: Ryan Remiorz/The Canadian Press
  1. Segunda feira (14) acontecerá a introdução de Eric Lindros, Sergei Makarov, Rogie Vachon e Pat Quinn (em memória) ao Hall da fama. Quem você gostaria de ver lá?

Thiago: Eu mesmo, pena que o mais perto que passei de jogar hóquei no gelo foi passar ao lado de uma pista de patinação no gelo dessas de shopping. Falando sério agora, tentando pensar um pouco fora do óbvio eu gostaria de ver Alexei Kovalev no hall da fama. Ele não é unanimidade, teve um início de carreira muito avassalador e criou expectativas que ficaram fora da realidade e que se transformaram em criticas pesadas de mais. Ele foi um jogador de 1029 pontos na carreira dentro da NHL, marcou 430 gols, pegou o período conhecido como “dead-puck era”, o pior período na liga para os atacantes, o que ajuda a relativizar esses números. A verdade é que ele foi o primeiro russo na história da liga a ser escolhido no 1º round do draft (15ª escolha geral em 1991), em 1994 foi um dos 4 primeiros russos a vencer a Stanley Cup, sendo que foi o terceiro maior pontuador daqueles playoffs dentro do estrelado New York Rangers, essas marcas criaram expectativas surreais. Kovalev esteve no auge da forma física numa era dominada por goleiros e defensores, mega atacantes como Pavel Bure e Eric Lindros tiveram que esperar muito, se Kovalev for eleito ao hall da fama vai demorar também, com tudo eu o vejo como digno dessa honra.

Mateus Luiz: Tem muitos jogadores que eu gostaria de citar aqui MAS darei asas ao meu amor pelo hóquei russo e apontarei dois filhos da pátria mãe. Com a introdução de Sergei Makarov, apenas 7 jogadores russos (além dele, Vladislav Tretiak, Igor Larionov, Sergei Fedorov, Pavel Bure, Slava Fetisov, e Valeri Kharlamov) estão no Hall da Fama e eu honestamente acho esse número ABSURDAMENTE baixo para a importância que o hóquei russo tem para a história. Voltando as indicações, eu gostaria de ver Alexander Mogilny que conseguiu 473 gols, 1.032 pontos em 990 jogos, 8 temporadas com 30+ gols, 2 temporadas com 100+ pontos além de ter levado a Stanley Cup de 2000 com o Devils e o Lady Byng de 02-03, Mogilny foi um dos melhores artilheiros dos anos 90-00 incluindo uma ABSURDA temporada de 76 gols em 77 jogos em 92-93. O outro é o grande Alexei Kovalev que conseguiu 430 gols, 1.029 pontos em 1316 jogos, 3 temporadas com 30+ gols, 12 temporadas com 20+ gols e 2 temporadas com 80+ pontos além de ter levado a Stanley Cup de 1994 com o Rangers. Apesar de não ter os mesmos números chamativos de Mogilny e de outros tantos, Kovalev foi um dos jogadores mais sólidos no quesito de pontos além de ajudar defensivamente. VIVA MOTHER RÚSSIA.

Lucas: Um que merece com certeza, é Teemu Selänne. Na NHL tem 1457 pontos em 1451 jogos de temporada regular, foi all-star por 10 vezes, campeão da Stanley Cup em  2007, venceu o Calder em 92/93 e o Rocket em 98/99. Se aposentou em 2014 e com certeza vai figurar no hall da fama nos próximos anos.

Mattheus Prudente: É difícil dizer, pois são muitos jogadores que merecem e, com toda a história da NHL, não dá para escolher apenas um ou dois. Nessa não terei opinião formada.

HOF2016.jpg
Esses quatro serão os novos membros do Hall da Fama. Que jogador você gostaria de ver sendo homenageado? Imagem: NHL
  1. Ainda é cedo pra falar de premiação mas pra quem você daria um dos prêmios do NHL Awards hoje?

Thiago: Atualmente vejo Carey Price indiscutivelmente como maior favorito para o Vezina e também o maior favorito para o Hart Trophy também, seria histórico ele conseguir essa dobradinha novamente. Outra pessoa que pelo começo de temporada é favorito a um prêmio é Shea Weber, por muitos anos injustiçado agora finalmente parece que a mídia percebeu que o melhor defensor da liga merece o Norris Trophy, se ele vencer, finalmente seu incrível hóquei será reconhecido, Weber mereceu por diversas vezes antes, mas sabemos que a NHL privilegia alguns jogadores infelizmente cometendo diversas injustiças. Outro que vejo como merecedor de prêmio nesse primeiro mês é Patrik Laine, Matthews pode ter começado fazendo história com os 4 gols em seu primeiro jogo, mas Laine tem sido um jogador melhor e portanto é o merecedor até então do Calder. Price com Vezina e Hart, Weber com Norris e Laine com o Calder, pelo menos até aqui, os três mantendo seus desempenhos, qualquer coisa diferente disso será uma injustiça, ou mais de uma, o que é infelizmente comum na NHL.

Mateus Luiz: Pros jogadores, acho que só Carey Price vai colocando milhas de distância na briga por outro Vezina Trophy e o menino Patrik Laine na briga pelo Calder. Entre os treinadores, penso que Lindy Ruff e Alain Vigneault aparecem como os favoritos ao Jack Adams.

Lucas: Price já pode se colocar na disputa pelo Vezina. Resta saber contra quem ele irá competir. Holtby está aí para defender o título. Laine está bem a frente na disputa pelo Calder, e seria a minha aposta. Weber, pelo inicio de temporada que tem feito, merece demais o Norris. Sobre os outros awards, é bem difícil avaliar por agora. Me perguntem isso de novo em Janeiro.

Mattheus Prudente: Eu vejo o Vezina indiscutivelmente com o Carey Price, mesmo apostando numa recuperação de goleiros como Tuukka Rask e Braden Holtby no meio da temporada. Depois de Price, nesse momento, vejo Sergei Bobrovsky como uma ameaça. Hart eu fico entre Price e Crosby que, mesmo jogando poucos jogos até aqui, está jogando muito bem e provando o seu valor mesmo depois do título. O Norris ficaria com Shea Weber, que se encontrou muito bem em Montreal, mesmo que as stats defensivas dos Canadiens seja em sua maioria por conta do Price. E o Calder ficaria com Patrick Laine, que vem sendo um jogador espetacular, uma máquina de pontos e superou o Auston Matthews.

Awards.jpg
Já dá pra prever quem fica com os prêmios individuais esse ano?
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s